Padre Reginaldo Manzotti vai celebrar 25 anos de vida sacerdotal
10/01/2020 06:19 em Brasil

Missa de Ação de Graças pelos 25 anos de vida sacerdotal do padre Reginaldo Manzotti será neste sábado em Curitiba


Lile Corrêa*

Durante o Programa Evangelizar transmitido ao vivo das 9h as 10h na Rádio Líder FM 104,9 de Ponta Porã, o padre Reginaldo Manzotti enviou um recado aos seus milhares de ouvintes brasileiros e paraguaios.

Padre Reginaldo vai celebrar 25 anos de vida sacerdotal neste sábado dia 11 com Missa no Santuário Nossa Senhora de Guadalupe em Curitiba, capital do Paraná.

Filhos e filhas, 

Estou em pleno retiro do clero na Arquidiocese de Curitiba e além disso, também estou prestes a celebrar 25 anos de vida sacerdotal. Vivendo todos esses momentos, reflito com muita humildade e só posso dizer: obrigado Deus.

Obrigado por viver essa celebração em minha vida, de toda minha história de amor a Jesus Cristo. Uma história com muitos acertos, todos pelo Espírito Santo. Também com muitos erros, pela minha fragilidade humana, mas acima de tudo um serviço de amor.

Ser padre é uma grande dádiva de Deus. Eu não mereço ser padre, eu fui escolhido para ser padre. E a grande descoberta foi que a vida linear, sem vibração... não ecoa. O que faz uma corda, em uma guitarra ou num violão, trazer sons maravilhosos é a vibração. E essa vibração na minha vida quem faz é Deus, quem faz é o povo, quem faz são os apelos da Igreja. Por isso, a minha vida vibra.

A minha história vocacional é de uma família católica, pai vicentino e mãe do Apostolado da oração. Eu acredito que isso influenciou muito, mas quem fez despertar em mim o “querer ser padre” foi olhanr para um outro padre, o Cônego Sétimo Giacobbo. Quando eu olhei para ele naquele altar, um homem de espiritualidade, profundo amor a liturgia, cantor, tocava piano maravilhosamente, isso me inspirou, eu queria ser assim.

O meu despertar sacerdotal foi olhando positivamente para o sacerdócio e isso foi muito cedo, pois em nada eu tinha certeza absoluta, até porque tinha apenas 12 anos. Mas é um convite, uma inquietação na alma, é um desassossego, mas é algo bom, algo que todos nós deveríamos ter coragem de escutar e arriscar em Deus.

Eu diria, com muita humildade e gratidão, bendita hora que eu escrevi aquela carta dizendo que queria ir para um seminário. Bendita a inspiração divina e os exemplos que eu tive, quer na família, quer do pároco local. Bendita hora que eu me desafiei saindo de casa, mesmo sendo filho caçula.

Estou muito longe de ser um exemplo de sacerdote, mas eu estou na luta. Na luta como todos nós, de diariamente buscarmos a santificação. Mas é uma alegria poder dizer, obrigado Senhor por ter confiado em mim, porque ser ordenado sacerdote nada mais é que uma confiança de Deus na pessoa humana. Deus escolhe, consagra e capacita para o servir.

Hoje, se eu perdesse tudo, o que eu não abriria mão em hipótese nenhuma é do meu sacerdócio. Se os holofotes mudarem, que mudem, chegará o seu tempo. Mas o sagrado, o terreno sagrado da minha vida, aquilo que é fundamental na minha existência é o ser padre, na Eucaristia, é o ser padre para o povo no amor a Deus, o que vem depois é consequência daquilo que me nutre.

Com muita humildade peço, rezem por mim.

Deus abençoe,

Padre Reginaldo Manzotti

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!